--- Image caption ---

Graças a uma cooperação entre o Banco Mundial, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD e a União Europeia, através da República Portuguesa, são mais de 26 toneladas de Equipamentos de Proteção Individual, avaliados em cerca de 2 milhões de dólares americanos, que chegaram em Bissau, com vista a reforçar a luta contra o COVID-19 no país.

Os equipamentos de proteção recebidos – 80,000 batas impermeáveis, 80,000 óculos de proteção descartáveis, 80,000 toucas e cerca de 12,000 cobre botas – são fundamentais na proteção do pessoal médico diretamente envolvido no atendimento e tratamento dos pacientes infetados pelo COVID-19 e serão geridos pelo Centro de Operações em Emergência de Saúde – COES, com a supervisão do Alto Comissariado para a Luta contra o COVID-19 na Guiné-Bissau.

Os equipamentos, adquiridos através de fundos do Banco Mundial e apoio técnico do PNUD, chegaram ao país graças à ponte aérea humanitária da União Europeia, que é um conjunto integrado de serviços que permitem levar ajuda humanitária aos países afetados pelo coronavírus num contexto em que a pandemia impõe restrições de transporte e de logística. Os voos da ponte aérea são totalmente financiados pela União Europeia, e operados em coordenação com os Estados-Membros (são coordenados na Guiné-Bissau pela Embaixada de Portugal) e organizações humanitárias que enviam material. A Ponte Aérea Humanitária é uma iniciativa temporária que complementa os serviços de logística do Plano Global de Resposta Humanitária das Nações Unidas.

O ato oficial de entrega contou com a presença da Alta Comissária da Luta contra o COVID-19 –  Dra. Magda Robalo Correia e Silva, Embaixadora da União Europeia na Guiné-Bissau Senhora Sónia Neto, do Representante do Instituto Camões, Sr. Antonio Nunes, o Cônsul de Portugal Dr. José Costa, da Sra. Patricia Rosa Merle em representação do Banco Mundial, do Representante Adjunto do PNUD- Sr. José Levy, do Representante do OMS e do sistema das Nações Unidas e do P5 junto do COES– Dr. Jean Marie Kipela.

Icon of SDG 03

PNUD PNUD no mundo

A

Afghanistan Afrique du sud Albanie Algérie Angola Arabie saoudite Argentine Arménie Azerbaïdjan

B

Bahreïn Bangladesh Barbade Bélarus Bélize Bénin Bhoutan Bolivie Bosnie-Herzégovine Botswana Brésil Bureau du Pacifique Burkina Faso Burundi

C

Cambodge Cameroun Cap-Vert Centrafrique (République centrafricaine) Chili Chine Chypre Colombie Comores Congo (République démocratique du) Congo (République du) Corée (République populaire démocratique de) Costa Rica Côte d'Ivoire Croatie Cuba

D

Djibouti

E

Egypte El Salvador Emirats arabes unis Equateur Erythrée Ethiopie

G

Gabon Gambie Géorgie Ghana Guatemala Guinée Guinée-Bissau Guinée équatoriale Guyane

H

Haïti Honduras

I

Ile Maurice et Seychelles Inde Indonésie Irak (République d') Iran

J

Jamaïque Jordanie

K

Kazakhstan Kenya Kirghizistan Kosovo (selon RCSNU 1244) Koweït

L

Laos Lesotho Liban Libéria Libye L’Ex-République yougoslave de Macédoine

M

Madagascar Malaisie Malawi Maldives Mali Maroc Mauritanie Mexique Moldova Mongolie Monténégro Mozambique Myanmar

N

Namibie Népal Nicaragua Niger Nigéria

O

Ouganda

P

Pakistan Panama Papouasie-Nouvelle-Guinée Paraguay Pérou Philippines Programme palestinien

R

République dominicaine Russie (Fédération de) Rwanda

S

Samoa São Tomé-et-Principe Sénégal Serbie Sierra Leone Somalie Soudan Soudan du Sud Sri Lanka Suriname Swaziland Syrie

T

Tadjikistan Tanzanie Tchad Thaïlande Timor-Leste Togo Trinité et Tobago Tunisie Turkménistan Turquie

U

Ukraine Uruguay Uzbekistan

V

Venezuela Viet Nam

Y

Yémen

Z

Zambie Zimbabwe