UNDP Guinea Bissau

Enfrentar os desafios associados às alterações climáticas tornou-se uma prioridade para a Guiné-Bissau. O país é sistematicamente classificado entre os países mais vulneráveis do mundo às alterações climáticas, devido à sua configuração geográfica, constituída essencialmente pela sua zona costeira, com fortes ameaças à subida do nível de água do mar, que constituem um grave desafio para o crescimento socio-económico.

Neste contexto, sob a égide do Instituto de Metereologia,  e com o apoio do PNUD e do GEF, realizou-se hoje em Bissau, o Atelier de apresentação e discussão do documento de projecto intitulado Reforço das informações climáticas e sistema de alerta precoce para o desenvolvimento resiliente ao clima e adaptação às alterações climáticas na Guiné-Bissau, que contou com a Consultora técnica da EBD-Antea.  

Na sua intervenção, o Representante Residente Adjunto do PNUD, José Levy, agradeceu a participação dos presentes e elogiou o engajamento dos mesmos em relação às questões das Mudanças Climáticas. Referiu que o projecto em questão vai focar-se na instalação de infraestruturas apropriadas para melhorar a observação e geração de informações climáticas e um sistema de alerta precoce na Guiné-Bissau. Além disso, o projeto vai trabalhar na construção de capacidades e integração de informação climática aos planos de desenvolvimento e processos de tomada de decisão locais. “O desenvolvimento humano para todos os guineenses não é um sonho, é uma meta atingível com dedicação, profissionalismo e integridade”, afirmou José Levy.

Por seu lado, o Presidente do Instituto de Meteorologia, João Lona Tchedná, no seu discurso de abertura reconheceu o apoio técnico e financeiro do PNUD e GEF, bem como a importância do evento para a apropriação para todos actores chave. Igualmente destacou ainda que “o projeto pretende reforçar a capacidade de monitoramento climático, sistemas de alerta precoce e informação para responder a desastres climáticos e planificar a adaptação às mudanças climáticas na Guiné-Bissau”.

Durante o evento, foram apresentados e discutidos as diversas componenetes do documento do projecto, nomeadamente i) Justificação e barreiras; ii) estratégia do projecto; iii) estrutura do projecto; iv) iniciativas básicas (cofinanciamento e integração técnica); orçamento; v) organização institucional e implementação; vi) gestão de riscos, entre outros temas. Além disso, os participantes tiveram a oportunidade de debaterem temas em grupos de trabalhos.

Este projeto pretende reforçar as capacidades em infraestruturas e recursos humanos do Instituto de Meteorologia e do sector dos recursos hídricos na colheita, tratamento e difusão de dados, que permitirão não apenas dar início à criação de um mecanismo de alerta precoce para as populações bem como obter e disponibilizar dados fiáveis para a tomada informada de decisões e planificação.

A sessão de trabalho contou com a presença dos representantes do Instituto de Meteorologia, Ambiente, Agricultura, Água, entre outros departamentos sectoriais, bem como representantes da Sociedade Civil, Sector privado e de especialistas internacionais.

Discurso proferido pelo Representante Adjunto do PNUD, Dr. José Gabriel Levy

PNUD PNUD no mundo

A

Afghanistan Afrique du sud Albanie Algérie Angola Arabie saoudite Argentine Arménie Azerbaïdjan

B

Bahreïn Bangladesh Barbade Bélarus Bélize Bénin Bhoutan Bolivie Bosnie-Herzégovine Botswana Brésil Bureau du Pacifique Burkina Faso Burundi

C

Cambodge Cameroun Cap-Vert Centrafrique (République centrafricaine) Chili Chine Chypre Colombie Comores Congo (République démocratique du) Congo (République du) Corée (République populaire démocratique de) Costa Rica Côte d'Ivoire Croatie Cuba

D

Djibouti

E

Egypte El Salvador Emirats arabes unis Equateur Erythrée Ethiopie

G

Gabon Gambie Géorgie Ghana Guatemala Guinée Guinée-Bissau Guinée équatoriale Guyane

H

Haïti Honduras

I

Ile Maurice et Seychelles Inde Indonésie Irak (République d') Iran

J

Jamaïque Jordanie

K

Kazakhstan Kenya Kirghizistan Kosovo (selon RCSNU 1244) Koweït

L

Laos Lesotho Liban Libéria Libye L’Ex-République yougoslave de Macédoine

M

Madagascar Malaisie Malawi Maldives Mali Maroc Mauritanie Mexique Moldova Mongolie Monténégro Mozambique Myanmar

N

Namibie Népal Nicaragua Niger Nigéria

O

Ouganda

P

Pakistan Panama Papouasie-Nouvelle-Guinée Paraguay Pérou Philippines Programme palestinien

R

République dominicaine Russie (Fédération de) Rwanda

S

Samoa São Tomé-et-Principe Sénégal Serbie Sierra Leone Somalie Soudan Soudan du Sud Sri Lanka Suriname Swaziland Syrie

T

Tadjikistan Tanzanie Tchad Thaïlande Timor-Leste Togo Trinité et Tobago Tunisie Turkménistan Turquie

U

Ukraine Uruguay Uzbekistan

V

Venezuela Viet Nam

Y

Yémen

Z

Zambie Zimbabwe